domingo, setembro 22, 2013

Slater - Emmys World 3013

Conheça os Vencedores da 65ª edição do Emmy Premiação ocorreu neste domingo

 
O Emmy, a festa da TV americana, que rola na noite deste domingo, em Los Angeles, começou premiando a melhor atriz coadjuvante em série de comédia. E quem levou a melhor foi Merritt Wever, por "Nurse Jackie". No palco, a atriz fez graça com poucas palavras: "Muito obrigada. Eu tenho de ir embora", disse, arrancando risos da plateia. Tina Fey e Tracey Wigfield ("30 Rock") foram agraciadas com o prêmio de melhor roteirista. Em seguida, Tony Hale ganhou a estatueta de melhor ator coadjuvante em série de comédia, por "Veep". No palco, o astro fez uma série de agradecimentos.

Julia Louis-Dreyfus, de "Veep", ficou com o prêmio de melhor atriz de comédia. "Quero agradecer o gênio criativo por trás de nosso programa, nossos produtores. Eu quero agradecer minha família. Quero agradecer o elenco", enumerou ela após ser premiada.

Melissa Leo saiu vitoriosa na categoria ator convidado em comédia. E foi ela quem entregou a Gail Mancuso a estatueta de melhor direção de série de comédia por "Modern Family". "Oh, meu Deus. Essa é a noite mais feliz da minha vida", disse Gail.

Em seguida, foi a vez da entrega do prêmio de melhor ator de comédia. E foi Jim Parsons, por "The Big Bang Theory", que levou a melhor. "Obrigada por tudo. É meio bobo ficar meio emocional, mas quero dar um alô para nosso diretor", afirmou o ator. "Amo meu empresário, muito obrigado", completou ele, que foi muito aplaudido.

Laura Linney não compareceu ao avento, mas ficou com a estatueta de melhor atriz de minissérie ou filme por "The Big C: Hereafter".

"Não escrevi nada. Não acredito que estou aqui", disse Bobby Cannavale, vencedor na categoria melhor ator coadjuvante em série de drama por "Boardwalk Empire". Já Jeff Daniels, de "The Newsroom", ficou com a estatueta de melhor ator em série de drama.

Claire Danes levou pela segunda vez o prêmio de melhor atriz em série de drama, com "Homeland". "Todos os atores sabem como nos dedicamos. Nós temos os melhores roteiristas", disse a bela, que dedicou a estatueta Henry Bromell, morto em março deste ano.


Veja os vencedores da noite:

Melhor atriz coadjuvante de comédia: Merritt Wever ("Nurse Jackie")
Melhor roteirista de comédia: Tina Fey e Tracey Wigfield("30 Rock")
Melhor ator coadjuvante de comédia: Tony Hale por "Veep"
Melhor atriz de comédia: Julia Louis-Dreyfus("Veep")
Melhor atriz convidada de comédia: Melissa Leo
Melhor direção de série de comédia: Gail Mancuso("Modern Family")
Melhor ator de comédia: Jim Parsons ("The Big Bang Theory")
Melhor atriz de minissérie ou filme: Laura Linney("The Big C: Hereafter")
Melhor roteiro de drama: Henry Bromell ("Homeland")
Melhor atriz coadjuvante em série de drama: Anna Gunn ("Breaking Bad")
Melhor reality show: "The Voice"
Melhor ator coadjuvante em série de drama: Bobby Cannavale("Boardwalk Empire") Melhor ator em série de drama: Jeff Daniels ("The Newsroom")
Melhor atriz em série dramática: Claire Danes ("Homeland")
Melhor direção em drama: David Fincher ("House Of Cards")
Melhor roteiro de programa de variedades: "The Colbert Report"
Melhor direção de programa de variedades: Don Roy King ("Saturday Night Live")

Fotos:

 
 





 








 

sábado, setembro 21, 2013

Slater - Chega de Desmatamento no Brasil

 
Chega de Desmatamento no Brasil
 
As florestas são fundamentais para assegurar o equilíbrio do clima, a conservação da biodiversidade e o sustento de milhões de pessoas que dela dependem diretamente para sobreviver. No Brasil elas são responsáveis por grande parte das chuvas que irrigam nossas plantações e que abastecem nossos reservatórios de água.
 
Florestas também fazem parte da nossa identidade como brasileiros. Elas influenciaram a formação da nossa cultura e nossos mitos. Seu verde está na nossa bandeira e nos nossos corações.
Porém, apesar de toda essa importância, elas continuam sendo devastadas. Apenas na Amazônia brasileira, maior floresta tropical do mundo, já perdemos mais de 720.000 km2 nos últimos 50 anos, uma área equivalente a soma dos estados de Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.
 
 
               :http://www.desmatamentozero.org.br
 
 
Compartilhe está ideia com o Mundo!
 
Salave os Ursos também!
 

Slater - Por um Mundo Melhor!:Dia da Árvore

Dia da Árvore: conheça a mais velha, a maior e o mais antigo fóssil

Na comemoração do 21 de setembro, o Terra traz curiosidades sobre as árvores

Dia da Árvore: floresta na Califórnia tem as mais antigas árvores do planeta Foto: Rick Goldwaser / Wikimedia
Dia da Árvore: floresta na Califórnia tem as mais antigas árvores do planeta
Foto: Rick Goldwaser / Wikimedia
     
Até 2013, a mais velha árvore ainda viva do planeta era Methuselah (Matusalém), um pinheiro (Pinus longaeva) de 4.845 anos das White Mountains, na Califórnia. Contudo, neste ano um grupo de pesquisa anunciou a descoberta de uma planta de 5.062 anos, da mesma espécie e na mesma região. Mas ela não recebeu ainda um nome.

Já o Guinness Book considera a árvore que mais viveu registrada como sendo Prometheus - também da mesma espécie e região. O pinheiro teria 5,2 mil anos. Prometheus tinha 5,1 m de diâmetro e sua idade foi descoberta pela contagem dos anéis do tronco. Ele foi cortado em 1963, segundo o Guinness.
O fóssil mais velho de uma árvore já datado tem cerca de 385 milhões de anos. Cientistas descobriram diversas partes da planta no Estado de Nova York. Eles estimam que teria cerca de 9 m de altura e seria parecido com as palmeiras atuais.

Os pesquisadores acreditam que o surgimento das primeiras florestas mudou drasticamente a cara do planeta, criaram novos microambientes e armazenaram enormes quantidades de carbono. "O surgimento de florestas removeu uma grande quantidade de dióxido de carbono da atmosfera. Isso fez com que as temperaturas caíssem e o planeta ficasse muito similar às condições atuais", diz Christopher Berry, da Universidade de Cardiff, em Gales, líder do estudo que descobriu o fóssil.

"As árvores precederam os dinossauros em 140 milhões de anos", diz Ed Landing, do Museu do Estado de Nova York, membro do estudo. "Não havia nada voando, nem répteis ou anfíbios."
 

As maiores árvores do mundo são as sequoias (Sequoia sempervirens), encontradas também na Califórnia. Elas podem chegar facilmente a 91 metros e, a mais alta conhecida, chamada de Hyperion, tem 115,7 metros. Os cientistas afirmam que as sequoias chegam a esse tamanho devido, parcialmente, às condições da região, com temperaturas amenas e muita chuva.

sábado, setembro 07, 2013

Slater - Notícias 257:Adriane Galisteu Lança Coleção de Esmalts em Feira de Beleza

Adriane Galisteu Lança Coleção de Esmaltes em Feira de Beleza

Apresentadora participu da Beauty Fair neste sábado, 7, em São Paulo.

Do EGO, em São Paulo
Adriane Galisteu lançou neste sábado, 7, sua coleção de esmaltes na Beauty Fair 2013, no Expo Center Norte, em São Paulo. A apresentadora posou com a linha da Top Beauty que leva seu nome segurando algumas cores da marca. A Feira Internacional de Beleza Profissional vai até terça-feira, 10, e por lá vão passar vários famosos, como Reynaldo Gianecchini, Henri Castelli e Bruno Gagliasso.

Adriane Galisteu mostra esmaltes (Foto: Manuela Scarpa/Foto Rio News)
Adriane Galisteu mostra esmaltes (Foto: Manuela Scarpa/Foto Rio News)

Adriane Galisteu mostra esmaltes (Foto: Manuela Scarpa/Foto Rio News)
Apresentadora posa com sua nova linha (Foto: Manuela Scarpa/Foto Rio News)
 
Adriane Galisteu (Foto: Manuela Scarpa/Foto Rio News)
Adriane Galisteu (Foto: Manuela Scarpa/Foto Rio News

Slater - 7 de Setembro, Dia da Independência


Introdução
A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.



Dia do Fico
Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou : "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico."


domingo, agosto 18, 2013

Slater - Notícias 256:Movimento 'Crueldade Nunca Mais' Ocorre pela Primeira vez no Acre

Movimento 'Crueldade Nunca Mais' Ocorre pela Primeira vez no Acre

Movimento é realizado simultaneamente em todo o país.
Realizado pela primeira vez no Acre, ato contou com cerca de 60 pessoas.

Veriana Ribeiro Do G1 AC

movimento crueldade nunca mais acre (Foto: Vanessa Facundes / Arquivo Pessoal)Grupo de reuniu nesse domingo (18) para realizar ato em defesa aos animais no movimento 'Crueldade Nunca Mais' (Foto: Vanessa Facundes / Arquivo Pessoal)
 
No Acre, o movimento 'Crueldade Nunca Mais' realizou neste domingo (18) um ato em defesa aos animais na Concha Acústica do Parque da Maternidade. De acordo com a organização, participaram de cerca de 60 pessoas. Essa é a primeira vez que o evento, feito simultaneamente em todo o país, é realizado no estado.

Durante o evento foi assinado um petição e dois professores de sociologia fizeram palestras para o grupo. "A lista da petição vai passar agora por alguns colégios, dos professores que participaram do evento e vão levar para os alunos. Enviaremos para São Paulo na semana que vem ", afirma Vanessa Facundes, da organização de doação de animais Patinhas Carentes e uma das organizados do evento.
A petição pede por penas mais severas para quem maltrata os animais.  "A petição pede penas maiores para quem maltrata os animais, quatro anos de prisão, e que o tráfico de animais sejam igualitários ao de drogas e armas", explica Vanessa.
Originalmente o ato pretendia realizar uma passeata, mas devido ao sol forte, o grupo preferiu realizar as ações em frente a Concha Acústica, onde estava marcada a concentração.

Slater - Notícias 255:Manifestantes protestam em defesa dos animais na Avenida Paulista

Manifestantes Protestam em Defesa dos Animais na Avenida Paulista

Protesto reúne cerca de cem pessoas, segundo a PM.
Após ocupar faixa da Paulista, manifestação interditou Rua da Consolação.

Do G1 São Paulo
Ato em defesa dos direitos dos animais acontece na Avenida Paulista (Foto: Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo) 
Ato em defesa dos direitos dos animais acontece na Avenida Paulista (Foto: Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)
Cerca de cem pessoas participaram de um protesto na manhã deste domingo (18) em defesa dos direitos dos animais na Avenida Paulista, na região central de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, a manifestação foi pacífica.
Protesto começou na Avenida Paulista (Foto: Ricardo Cardoso/Frame/Estadão Conteúdo ) 
Protesto começou na Avenida Paulista (Foto: Ricardo
Cardoso/Frame/Estadão Conteúdo )
Às 14h, o protesto já não bloqueava nenhuma via. Os manifestantes estavam reunidos  na praça Franklin Roosevelt. No entanto, o reflexo da interdição ainda provcava lentidão de 1,9 km na Rua Teixeira da Silva até a Rua Augusta, no sentido Consolação.
Com faixas e cartazes nas mãos, os manifestantes chegaram a bloquear duas faixas da direita da Rua da Consolação por volta das 13h40.

A concentração teve início no vão livre do Masp, por volta das 10h. Os manifestantes ocuparam a faixa da direita da Avenida Paulista, no sentido da Consolação, por volta das 11h30, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Slater - Notícias 254:'Seguimos rezando pela paz no Egito', diz Papa Francisco

'Seguimos rezando pela paz no Egito', diz Papa Francisco

Pontífice citou conflitos no país pelo segundo dia seguido.
Mais de 700 pessoas morreram em quatro dias de confrontos no Egito.

Da France Presse


O Papa Francisco fez neste domingo (18) um novo apelo pela paz no Egito, após o governo local confirmar a morte de 751 pessoas em quatro dias de confronto.

"Seguimos rezando pela paz no Egito", declarou o pontífice no tradicional Ângelus dominical realizado no Palácio Apostólico, na Praça São Pedro.

No sábado (17), o Papa Francisco disse acompanhar com "inquientação crescente as graves informações procedentes do Egito", segundo um comunicado da secretaria de imprensa do Vaticano.
"O Papa continua rogando e desejando o fim da violência e que as partes em conflito escolham a via do diálogo e da reconciliação", afirma a nota.
Antes da oração, o papa declarou que "o Evangelho não autoriza em absoluto o uso da força para defender a fé".

"Fé e violência são incompatíveis", exclamou em duas ocasiões o papa.
Francisco declarou que "seguir Jesus comporta renunciar ao mal, ao egoísmo, escolher o bem, a verdade, a justiça, embora requeira sacrifício e renunciar aos próprios interesses".
"E isso sim divide, nós sabemos, divide os vínculos mais estreitos", acrescentou.
O pontífice destacou que "a fé não é algo decorativo, é força de alma", e que "a fé comporta escolher Deus como critério base da vida. Deus não é um vazio, não é neutro, é sempre positivo, depois que Deus veio ao mundo, não podemos mais agir como se Deus não o conhecêssemos".

Papa Francisco faz a oração do Ângelus neste domingo (18) e diz estar rezando pelo Egito (Foto: Vicenzo Pinto/AFP)Papa Francisco faz a oração do Ângelus neste domingo (18) e diz estar rezando pelo Egito (Foto: Vicenzo Pinto/AFP)

terça-feira, julho 23, 2013

Slater Homenagem:Dominguinhos Morre


Dominguinhos morre aos 72 anos em hospital de São Paulo

Músico lutava havia seis anos contra um câncer de pulmão.
Ele havia sido transferido para a capital paulista em 13 de janeiro.

Do G1 São Paulo

 

SELO DOMINGUINHOS (Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem/AE)
Músico Dominguinhos morreu nesta terça-feira em
SP (Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem/AE)
 
O músico Dominguinhos morreu nesta terça-feira (23), aos 72 anos, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele lutava havia seis anos contra um câncer de pulmão. De acordo com o hospital, o músico morreu às 18h em decorrência de complicações infecciosas e cardíacas.
Ao longo do tratamento, ele desenvolveu insuficiência ventricular, arritmia cardíaca e diabetes. Dominguinhos foi transferido para a capital paulista em 13 de janeiro. Antes, esteve internado por um mês em um hospital no Recife. A filha do músico, Liv Moraes, confirmou nesta segunda-feira (22) que o cantor havia voltado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) porque o estado de saúde dele tinha piorado.
Considerado o sanfoneiro mais importante do país e herdeiro artístico de Luiz Gonzaga (1912-1989), José Domingos de Morais nasceu em Garanhuns, no agreste de Pernambuco. Conheceu Luiz Gonzaga com 8 anos. Aos 13 anos, morando no Rio, ganhou a primeira sanfona do Rei do Baião, que três anos mais tarde o consagrou como herdeiro artístico.
 
Instrumentista, cantor e compositor, Dominguinhos ganhou em 2002 o Grammy Latino com o “CD Chegando de Mansinho”. Ao longo da carreira, fez parcerias de sucesso com músicos como Gilberto Gil, Chico Buarque, Anastácia e Djavan.
Ainda criança, Dominguinhos tocava triângulo com seus irmãos no trio “Os três pinguins”. Quando ele tinha 8 anos, foi “descoberto” por Gonzagão ao participar de um show em Garanhuns. A “benção” lhe foi dada pelo rei do baião quanto tinha 16 anos.

 Dominguinhos durante apresentação em São Luis do Paraitinga em 2011. (Foto: José Patrício/Estadão Conteúdo)
Dominguinhos em apresentação em São Luís do
Paraitinga (Foto: José Patrício/Estadão Conteúdo)
 
“Gonzaga estava divulgando para a imprensa o disco 'Forró no Escuro' quando ele me apresentou como seu herdeiro artístico aos repórteres”, lembrou-se Dominguinhos em entrevista ao G1 no fim de 2012. “Foi uma surpresa muito grande, não esperava mesmo.”
De acordo com ele, o episódio aconteceu somente três anos depois de sua chegada ao Rio, acompanhado do pai, o também sanfoneiro Chicão. Mudaram-se para a cidade justamente para encontrar Luiz Gonzaga. “Em cinco minutos, ele me deu uma sanfona novinha, sem eu pedir nada”, prosseguiu. Naquele período, Dominguinhos saiu em turnê com o mestre para cumprir a função de segundo sanfoneiro e, eventualmente, de motorista.

Centenário de Gonzagão
No fim de 2012, Dominguinhos se dedicou ativamente às celebrações dos cem anos do nascimento de Luiz Gonzaga. Durante um show no dia centenário, 13 de dezembro, realizado na terra natal do músico, Exu (PE), Gilberto Gil comentou: “Dominguinhos teve a herança do Gonzaga, que ele incorporou, através das canções, dos estilos, o gosto pelo xote, xaxado”.
Para Gil, no entanto, Dominguinhos soube trilhar um caminho próprio. “Dominguinhos foi além, em uma direção que Gonzaga não pôde, não teve tempo. Ele foi na direção do início de Gonzaga, o instrumentista, da época das boates do Mangue, no Rio de Janeiro, quando ele tocava tango, choro, polca, foxtrot, tocava tudo, repertório internacional, tudo na sanfona. ”


Batizado por Gonzaga, Dominguinhos levou adiante legado do Rei do Baião

Após começo com ritmos nordestinos, músico transitou entre muitos estilos.
Sanfoneiro faleceu nesta terça-feira no Hospital Sírio-Libanês, em SP.

Do G1 PE
O cantor e compositor Dominguinhos dá entrevista à NBR, o canal de TV a cabo da Radiobrás em 2003. (Foto: Victor Soares/ABr)
O cantor e compositor Dominguinhos faleceu nesta terça-feira (23)
 (Foto: Victor Soares/ABr)
 
Um adolescente de 16 anos, chegado ao Rio de Janeiro havia pouco, de repente ganha a bênção do Rei do Baião ao ser chamado pelo próprio de “herdeiro artístico”. Não poderia ter começado de maneira mais certeira a carreira musical de Dominguinhos, o sanfoneiro nascido José Domingos de Morais, em Garanhuns, Agreste pernambucano, no dia 12 de fevereiro de 1941. O Brasil se despede do músico nesta terça-feira (23).

“Gonzaga estava divulgando para a imprensa o disco ‘Forró no escuro’ [1958] quando me apresentou como seu herdeiro artístico aos repórteres”, lembrou-se Dominguinhos, em entrevista ao G1, durante os festejos do centenário de Gonzaga, em dezembro do ano passado. “Foi uma surpresa muito grande, não esperava mesmo”, assegurou.

A relação entre os dois, no entanto, é mais antiga. Dominguinhos ainda era criança e tocava triângulo com os irmãos no grupo Os Três Pinguins. Naquela época, era chamado Neném do Acordeon, apelido de infância. Tinha 8 anos e estava tocando na frente do hotel onde Gonzaga se hospedara, em Garanhuns, quando o Rei do Baião notou seu talento. Ali mesmo, prometeu ao músico mirim uma sanfona de presente, caso este resolvesse ir ao Rio de Janeiro.

O artista consagrado não se esqueceu do garoto quando ele foi procurá-lo, já rapaz, na então capital federal. Acompanhado do pai, o também sanfoneiro Chicão, e de um dos irmãos, Dominguinhos se mudou para o Rio de Janeiro e passou a viver em Nilópolis. Em 1954, a intenção do músico era encontrar Luiz Gonzaga. Quando o encontro aconteceu, a promessa não demorou a ser cumprida: “Em cinco minutos, ele me deu uma sanfona novinha, sem eu pedir nada", contou. Também não foi necessário tempo demais para Gonzagão ter certeza do que tinha suspeitado em 1949: o anúncio de Dominguinhos como herdeiro aconteceria apenas quatro anos após a chegada do então jovem sanfoneiro ao Rio. Além do instrumento e da bênção, Gonzaga ainda batizou o rapaz, dando-lhe o apelido que viraria nome artístico. Para o velho Lua, a alcunha de “Neném do Acordeon” não ajudaria na carreira como músico.
 
Dominguinhos foi homenageado no Prêmio Shell de Música em 2010. (Foto: Marcos De Paula/Estadão Conteúdo)
Em 2010, Dominguinhos foi homenageado no Prêmio Shell de Música
(Foto: Marcos De Paula/Estadão Conteúdo)
 
A primeira gravação profissional de Dominguinhos não poderia ser no disco de outro artista: em 1957, tocou sanfona em um álbum de Luiz Gonzaga, na música "Moça de feira", de autoria de Armando Nunes e J. Portela. No mesmo ano, o padrinho ajudou de novo na hora de batizar o grupo do qual o afilhado faria parte: com Zito Borborema e Miudinho, Dominguinhos fundou o Trio Nordestino, que ficou conhecido por interpretar diversos ritmos do Nordeste. O grupo continuaria, com outras formações, mas a participação de Dominguinhos foi encerrada em 1960.
O mundo do samba, da gafieira e do bolero atrairia o sanfoneiro temporariamente, mas, em 1965, Dominguinhos foi convidado a gravar, na recém-inaugurada gravadora Cantagalo, um disco que tinha como alvo os migrantes nordestinos que viviam no Rio de Janeiro. O dono da empresa era Pedro Sertanejo, pai de Oswaldinho do Acordeon, um dos primeiros a lidar com o forró no mercado do Sul-Sudeste brasileiro. Foi o bastante para Dominguinhos voltar a tocar xotes e baiões e, em 1967, integrar uma excursão de Luiz Gonzaga à região Nordeste, dividindo-se entre as funções de sanfoneiro e motorista – o notório medo de avião do sanfoneiro não começou aqui, no entanto. Antes de adotar o transporte rodoviário, Dominguinhos voou pelo mundo durante 30 anos, mas há 26 tinha deixado as aeronaves de lado.

Além de ser o segundo sanfoneiro de Gonzaga, e motorista eventual, Dominguinhos teve a oportunidade de conhecer, nessa excursão, a cantora pernambucana Anastácia. O encontro com a compositora, com quem se envolveu, marcou a carreira do músico. Juntos, são autores de mais de 200 canções. "Tenho sede" e "Eu só quero um xodó" são dois dos grandes sucessos da dupla e esta última música já soma cerca de 250 regravações, em várias línguas.
O empresário Guilherme Araújo, que dirigia a carreira dos novos ídolos baianos como Gal Costa, Caetano Veloso e Gilberto Gil, viu Dominguinhos tocando num show de Luiz Gonzaga, em 1972, e fez o convite para que o sanfoneiro acompanhasse Gal no show “Índia”.  É dessa mesma época a primeira gravação de Gil de "Eu só quero um xodó", versão que ficou muito famosa no Brasil. Como instrumentista, Dominguinhos passou então a transitar com desenvoltura no mundo da MPB, tocando ao vivo e também participando de gravações em estúdio.

Durante show no dia do centenário de Luiz Gonzaga, em 13 de dezembro deste ano, realizado na terra natal do Rei do Baião, Exu (PE), Gilberto Gil reiterou a importância de seu herdeiro. “Dominguinhos teve a herança do Gonzaga, que ele incorporou, através das canções, dos estilos, o gosto pelo xote, xaxado”. No entanto, para Gil, Dominguinhos soube trilhar um caminho próprio. “Ele foi além, em uma direção que Gonzaga não pôde, não teve tempo. Ele foi na direção do início de Gonzaga, o instrumentista, da época das boates do Mangue, no Rio de Janeiro, quando ele tocava tango, choro, polca, foxtrote, tocava tudo, repertório internacional, tudo na sanfona”.
Em meados dos anos 1980, Dominguinhos viu sua popularidade crescer em nível nacional. "De volta pro meu aconchego", composta em parceria com Nando Cordel e gravada por Elba Ramalho, e "Isso aqui tá bom demais", assinada junto com Chico Buarque, e gravada pelos dois, fizeram parte da trilha sonora da novela "Roque Santeiro", da TV Globo, um sucesso absoluto entre 1985 e 1986. Temas dos personagens Roque Santeiro e Sinhozinho Malta, respectivamente, as canções ganharam milhares de ouvintes, levando o nome de Dominguinhos país adentro.
 
A composição de trilha sonora voltaria à vida de Dominguinhos em 1997, quando o sanfoneiro assinou as canções do filme "O cangaceiro", de Anibal Massaini Neto. Dois anos depois, o disco “Você vai ver o que é bom” trouxe o registro de “O riacho do imbuzero", uma letra até então inédita do compositor pernambucano Zé Dantas, que foi entregue a Dominguinhos pela viúva do parceiro de Luiz Gonzaga.  No mesmo trabalho, os dez anos da morte do Rei do Baião foram lembrados na música “Prece a Luiz", assinada em parceria com Climério.
Em 2004, Dominguinhos cumpriu temporada de shows no Rio de Janeiro, em dupla com Elba Ramalho, com repertório que privilegiou os hits de ambos os artistas. As apresentações se transformaram em CD no ano seguinte.  Em 2007, os papéis se inverteram e foi a vez de Dominguinhos virar padrinho: o sanfoneiro participou da estreia da filha Liv Moraes em disco, fazendo o arranjo e tocando a sanfona em algumas das faixas.  Nos últimos anos, a cantora acompanhou o pai em muitas das suas apresentações, inclusive durante a festa pelo centenário de Gonzaga, em Exu. A gravação, em 2009, do primeiro registro em DVD – “Dominguinhos ao vivo” – aconteceu no maior teatro ao ar livre do mundo, em Fazenda Nova, cidade do Agreste pernambucano, mesmo palco onde é realizada anualmente a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém. Os cantores Elba Ramalho, Renato Teixeira, Liv Moraes e Jorge de Altinho e os sanfoneiros Waldonys e Cezzinha participaram do trabalho.

Entre os últimos CDs gravados por Dominguinhos estão os trabalhos com o violonista gaúcho Yamandu Costa. A parceria começou em 2007, com o disco “Yamandu + Dominguinhos”, que tinha uma única preocupação: deixá-los tocarem o que tivessem vontade, sem amarras a repertórios ou estilos. Em cinco dias, foram registrados clássicos como “Feira de Mangaio” (Sivuca e Glória Gadelha), “Wave” (Tom Jobim), “Pedacinho do céu” (Waldir Azevedo) e “Asa branca” (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira). O encontro dos músicos viraria DVD, em 2009, e permitiria a produção de um novo CD, o “Lado B – Yamandu Costa e Dominguinhos”, lançado em 2010. Composições de Hermínio Bello de Carvalho, Jacob do Bandolim, Lupicínio Rodrigues, Ary Barroso e Lamartine Babo fazem parte do repertório do segundo disco.

Prêmios e honrarias não foram poucos ao longo de praticamente 60 anos de carreira: em 2002, o CD “Chegando de mansinho” deu a Dominguinhos seu primeiro Grammy Latino. “Conterrâneos”, CD solo gravado em 2006, conquistou o Prêmio Tim em 2007, na categoria cantor regional. Em 2008, Dominguinhos foi o homenageado do Prêmio Tim de Música Brasileira e, dois anos depois, venceu o Prêmio Shell de Música. Este ano, o disco “Iluminado” deu ao sanfoneiro pernambucano mais um Grammy Latino, na categoria raízes brasileiras -  uma classificação mais do que digna para uma estrela da música brasileira, defensor e renovador de suas raízes nordestinas.

sábado, julho 20, 2013

Slater Homenagem:Helen Thomas Morre

Morre Helen Thomas, veterana correspondente da Casa Branca
Jornalista morreu em seu apartamento após uma longa doença.
Ao todo, Helen cobriu o mandato de 10 presidentes.

Da EFE
 
Helen Thomas
(Foto: Hyungwon Kang/Files/Reuters)
 
A jornalista americana Helen Thomas, considerada um ícone da sala de imprensa da Casa Branca, onde cobriu todas as presidências desde John F. Kennedy até Barack Obama, morreu neste sábado (20), aos 92 anos.

Helen, que completaria 93 anos no próximo mês, "morreu na manhã do sábado em seu apartamento após uma longa doença", disse o presidente do Gridiron Club, organização de jornalistas da qual a repórter fazia parte.

A jornalista teve durante 50 anos um lugar fixo entre os correspondentes da mansão presidencial, onde era conhecida por suas perguntas diretas e ácidas, que frequentemente incomodavam os porta-vozes da Casa Branca. Ao todo, Helen cobriu o mandato de 10 presidentes.

Helen Thomas (Foto: Hyungwon Kang/Files/Reuters)

A jornalista foi a primeira mulher a ser membro da Associação de Correspondentes da Casa Branca, a primeira presidente dessa organização e a primeira diretora do Clube Nacional de Imprensa.
Nascida em 1920 em uma família de imigrantes libaneses de baixa renda em Kentucky, estudou na Universidade de Wayne antes de se mudar para a capital americana, onde trabalhou no jornal 'Washington Daily News'.

Em 1943, começou a trabalhar para a agência United Press International, onde permaneceu a maior parte de sua carreira, primeiro como repórter de assuntos relacionados com as mulheres e mais tarde como jornalista política.

Em 1960, cobriu a campanha presidencial de Kennedy e se tornou correspondente na Casa Branca após sua posse, em janeiro de 1961.

O fim de sua carreira chegou de forma abrupta em junho de 2010, dez anos após abandonar a United Press para se tornar colunistas dos jornais "Hearst", quando renunciou por causa da polêmica provocada por comentários anti-israelenses.  

Em um vídeo no site www.rabbilive.com, Helen afirmou que os judeus deviam "ir embora o mais rápido possível da Palestina" e "voltar para casa", na Alemanha, Polônia ou Estados Unidos.
As palavras geraram um vendaval de críticas, inclusive do então porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, que considerou as declarações 'ofensivas e reprováveis'. Helen pediu desculpas e abandonou a cadeira que ocupava no centro da primeira fila da sala de imprensa da Casa Branca.